Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

A fala do Senhor

É dever sagrado do espírito humano pesquisar por que se encontra na Terra, ou por que motivo vive nesta Criação à qual se encontra ligado por milhares de fios. Nenhum ser humano se tem em conta de tão insignificante, para crer que sua existência fosse sem finalidade, se ele mesmo assim não a tornasse. A tal respeito considera-se ele em todo caso demasiado importante. Entretanto, são apenas poucos os seres humanos que conseguem, penosamente, libertar-se a tal ponto da preguiça de seu espírito, para se ocupar sinceramente em pesquisar qual a sua finalidade na Terra.

E é também somente indolência do espírito que os faz de bom grado adotar doutrinas fixas estabelecidas por outrem. E indolência jaz na tranquilidade de pensar que é grandeza agarrar-se à crença dos pais, sem submeter os pensamentos nela contidos a exame próprio de maneira meticulosa e criteriosa.

Em todas as coisas os seres humanos são apoiados solicitamente por associações calculadoras e egoísticas, as quais acreditam que a expansão do montante dos adeptos seja o melhor caminho para o aumento e a consolidação da influência e com isso o crescimento do poder.

 

Longe se encontra deles o verdadeiro reconhecimento de Deus, pois doutra forma não prenderiam o espírito humano nas cadeias duma doutrina fixa, e sim educariam-no, despertando nele a responsabilidade própria, determinada por Deus, e que condiciona fundamentalmente inteira liberdade às suas resoluções espirituais! Só um espírito livre nisso pode chegar ao verdadeiro reconhecimento de Deus, que nele amadurece para convicção plena, a qual é necessária a cada um que deseja ser erguido às alturas luminosas, pois somente a convicção livre e sincera pode ajudá-lo a tanto.

Vós, seres humanos, porém, o que fizestes! Como tolhestes essa altíssima graça Divina, impedindo criminosamente que ela pudesse desenvolver-se, ajudando todos os seres humanos terrenos a abrir aquele caminho, que os conduz seguramente à paz, à alegria e à mais alta felicidade!

Ponderai: também na opção, no assentimento ou na obediência, que ocorre talvez apenas por hábito, como consequência da preguiça espiritual, ou porque nos outros é usual assim, reside uma resolução pessoal, que para os que assim agem acarreta responsabilidades individuais, de acordo com as leis da Criação!

 

Para aqueles que induzem o espírito humano assim, decorre paralelamente também uma responsabilidade como inevitável e de inexorável consequência. Nem o menor pensamento ou ação podem ser postos de lado, sem consequências de igual espécie da Criação, em cuja contextura os fios se tecem inexoravelmente, tanto para uma pessoa individualmente, como para a coletividade, aguardando os resgates, os quais, por sua vez, terão de ser recebidos finalmente por seus autores, isto é, geradores, seja como sofrimento ou alegria, conforme a maneira com que foram criados outrora, somente aumentados e consequentemente mais robustecidos.

Entre todas as criaturas na Criação só o espírito humano tem livre arbítrio, o qual até hoje ele próprio não pôde esclarecer nem compreender, porque nos limites estreitos do cismar de seu raciocínio não encontrou nenhum ponto de apoio como prova disso.

 

Seu livre arbítrio jaz somente nas resoluções que em cada hora ele pode tomar inúmeras. Mas ele está sujeito inexoravelmente às consequências de cada uma de suas próprias resoluções, no tecer automático das leis da Criação! Daí decorre sua responsabilidade, que está inseparavelmente ligada à concessão de uma liberdade de vontade na resolução, e a qual foi dada ao espírito humano como algo inseparável e característico.

Do contrário, onde estaria a Justiça Divina que, como apoio, equilíbrio e conservação de todas as atuações criadoras, está firmemente ancorada na Criação?

Ela nem sequer conta, porém, em seus efeitos, somente com o curto espaço de tempo de uma existência terrena do espírito humano, mas sim existem nisso outras condições totalmente diferentes, como os leitores de minha Mensagem sabem.

[…]

Vós, seres humanos terrenos, vos encontrais nesta Criação, a fim de encontrar a felicidade bem-aventurada! Na Fala em que Deus se expressa a vós de modo vivo! E compreender essa Fala, aprendê-la, intuir nela a Vontade de Deus, eis vosso alvo no percurso através da Criação. Na própria Criação a que pertenceis, reside o esclarecimento da finalidade de vossa existência e ao mesmo tempo também o reconhecimento de vosso alvo! De outra forma jamais encontrareis ambos.

Isto exige de vós que vivais a Criação. Vivê-la ou vivenciá-la só o conseguireis, contudo, quando a conhecerdes deveras.

Abro-vos, pois, com a minha Mensagem o Livro da Criação! A Mensagem vos mostra claramente a Fala de Deus na Criação, Fala essa que tendes de aprender a entender, para que possais absorve-la inteiramente.

 

Imaginai por um momento uma criança qualquer na Terra, que não pode compreender o pai ou a mãe, porque nunca aprendeu a língua que lhe é falada. Que seria de uma tal criança?

Ela ignora completamente o que querem dela, e dessa maneira irá caindo de um mal para outro, atraindo sobre si um sofrimento após outro, e acabará talvez inteiramente incapacitada para a finalidade terrena, como também para a alegria terrena.

Não deve cada criança aprender sozinha, por si mesma, a língua de seus pais, para poder vir a ser algo? Ninguém poderá livrá-la desse esforço!

Do contrário andaria sempre desorientada, jamais amadureceria e nunca poderia atuar na Terra, ficando assim um estorvo, um peso para os demais, devendo por fim ser afastada, para não acarretar prejuízos.

 

E vós, aguardais algo diferente?

O inevitável cumprimento de tal dever da criança, tendes vós para com o vosso Deus, logicamente, cuja Fala vós tendes de aprender a entender, tão logo quiserdes Seu auxílio. Entretanto, Deus fala para vós em Sua Criação. Se quiserdes progredir nela, então tendes antes de reconhecer essa Sua Fala. Se negligenciardes isso, sereis afastados dos que conhecem a Fala e que por ela se orientam, pois do contrário ocasionareis danos e estorvos, mesmo involuntariamente!

Portanto, vós tendes de fazer isso! Não vos esqueçais disso, e cuidai para que tal se realize, do contrário estareis indefesos e expostos a tudo o que vos ameaça.

Minha Mensagem será para vós um Guia fiel!

 

Abdruschin

                        

Excerto da Dissertação 34 “A Fala do Senhor” da obra “Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal”, volume I

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens