Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

A palavra humana

Como uma grande graça para o vosso amadurecimento na matéria grosseira, vos foi concedido o dom, criaturas humanas, de formar palavras! Jamais destes o merecido apreço a essa dádiva, porque não vos esforçastes para isso, e levianamente vos utilizastes dela. Assim tendes que sofrer agora amargas consequências da vossa atuação errada.

Tal sofrimento já vos aflige, e todavia ainda ignorais as causas que trazem como consequência esse sofrimento.

Ninguém deve brincar com as dádivas do Todo-poderoso, sem prejudicar a si mesmo, assim é determinado pela lei que se encontra atuando na Criação e que jamais se deixa confundir.

E se pensardes que esse dom de falar, isto é, a vossa faculdade de formar palavras, as quais transmitem pela linguagem a vossa vontade à matéria grosseira, constitui uma dádiva extraordinária do vosso Criador, então sabereis também que daí vos decorrem obrigações que resultam numa gigantesca responsabilidade; sim, pois com o idioma e através dele deveis atuar na Criação!

As palavras que formais, as frases, moldam vosso destino exterior sobre a Terra. São como sementeiras num jardim que cultivais em redor de vós, pois cada palavra humana pertence ao mais vivo que vós podeis fazer em vosso favor nesta Criação!

 

Hoje vos ofereço para refletirdes esta advertência: há em cada palavra dispositivos desencadeantes, porque todas elas estão ancoradas fortemente nas leis primordiais da Criação!

Cada palavra que o ser humano formou originou-se sob a pressão de leis mais altas e, segundo sua aplicação, tem de atuar formando numa bem determinada espécie!

A aplicação jaz na mão do ser humano segundo sua livre vontade, já os efeitos, porém, ele não consegue dominar, pois são dirigidos com rigorosa justiça de acordo com a sagrada lei, por uma força até então desconhecida dele.

Por isso, agora, na última prestação de contas, um grande sofrimento cairá sobre cada criatura humana que tiver abusado dos efeitos misteriosos da palavra!

Onde está, porém, tal criatura humana que aí ainda não tenha pecado! Toda a geração terrena está presa deveras a essa culpa desde milénios. Que males já foram lançados sobre a Terra com a aplicação errada dessa dádiva de poder falar!

 

Com a tagarelice destruidora e leviana, todos os seres humanos semearam veneno. A semente brotou direito, chegou à floração total e dá agora os frutos que deveis colher, quer queirais ou não, pois são todos consequências de vosso atuar que agora vos serão lançados no regaço!

Que esse veneno tem de produzir os mais repugnantes frutos é facto que não surpreenderá quem conhecer as leis da Criação, leis que não se regem segundo as opiniões humanas, e sim prosseguem calma e inexoravelmente seus grandes percursos, sem desvios, desde o começo dos tempos até toda a eternidade, sem alteração.

[…]

Atentai à vossa palavra! Não faleis apenas por falar. Falai somente quando, onde e como for necessário! Deve haver nas palavras do ser humano um reflexo do Verbo de Deus, que é vida e que permanecerá eternamente vida.

Bem sabeis que a Criação toda vibra no Verbo do Senhor! Isso não vos dá o que pensar? A Criação vibre Nele, como vós também, visto que sois parte da Criação, pois ela se originou Dele e é sustentada através desse Verbo.

Já foi claramente revelado aos seres humanos que:

“No começo era o Verbo! E o Verbo estava junto de Deus! E Deus era o Verbo!”

Nisso repousa para vós todo o saber, se apenas o haurísseis. Mas ao lerdes passais por cima e não atentais nisso. Essa sentença vos diz nitidamente:

O Verbo veio de Deus. Foi e é uma parte Dele.

 

Um pequeno reflexo do poder do Verbo vivo de Deus, que tudo contém em si, que abrange tudo o que está fora de Deus, um pequeno reflexo reside também na palavra humana!

Em verdade, a palavra humana consegue emitir seu efeito somente até às camadas da parte fina da matéria grosseira, mas isto basta para formar aqui sobre a Terra, por ação do retorno, o destino das criaturas humanas e também dos povos!

Refleti nisso! Quem muito fala permanece apenas no solo do raciocínio torcido e unilateralmente cultivado! Uma coisa acompanha sempre a outra. Nisso reconhecê-lo-eis! E se trata de palavras dos baixios terrenos, que nunca são capazes de construir. No entanto, a palavra deve construir segundo a lei Divina. Onde ela não obedece a este mandamento, aí só poderá produzir o contrário.

 

Portanto, atentai sempre à vossa palavra! E sustentai vossa palavra! Para isso ainda vos será ensinado o caminho certo, na construção do Reino de Deus aqui na Terra.

Urge primeiramente que aprendais a reconhecer a força das palavras que até agora só tendes desvalorizado de modo leviano e tolo.

Pensai somente uma vez na mais sagrada palavra que vos foi dada, na palavra: DEUS!

Falais muito em Deus, demais mesmo, como se nisso pudesse ressoar ainda aquela veneração, que deixa reconhecer que também sentis intuitivamente certo: aquela veneração que só vos permite sussurrar a sublime palavra em dedicada devoção, para protegê-la cuidadosamente de qualquer espécie de profanação.

Mas que fizestes, criaturas humanas, do mais sagrado de todos os conceitos dessa palavra! Em vez de preparar com humildade e alegria o vosso espírito para essa tão sublime expressão, para que ele gratamente se abrisse a uma indizível força de irradiação da Inenteal sublimidade luminosa do verdadeiro ser, que vos outorga o dom de respirar, bem como a todas as criaturas, ousais arrastar para os baixios de vosso mesquinho pensar essa palavra, utilizando-a irresponsavelmente como uma palavra quotidiana, a qual assim só teve que formar em vossos ouvidos um som vazio, não conseguindo por isso achar entrada em vosso espírito.

 

É portanto evidente que essa mais sublime de todas as palavras se efetive aí de modo diferente do que naqueles que a sussurram com legítima veneração e reconhecimento.

Atentai, portanto, a todas as palavras, pois encerram alegria ou sofrimento para vós, constroem ou destroem, trazem clareza, mas também podem confundir, conforme a maneira como são proferidas e aplicadas.

Quero proporcionar-vos também reconhecimento mais tarde a tal respeito, para que possais agradecer mediante cada palavra que o Criador ainda vos permite proferir! Então devereis ser felizes terrenamente também, e a paz reinará aqui nesta Terra até agora tão inquieta.

 

Abdruschin

 

Excerto da Dissertação 21 “A Palavra Humana” da obra “Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal”, volume I

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens