Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Culto

Culto deve ser o anseio tornado forma, para que algo inapreensível terrenamente se torne assimilável de algum modo ao sentido terreno.

Deve ser o anseio tornado forma, mas infelizmente ainda não é assim, do contrário muita coisa deveria ter formas completamente diferentes, se tivessem surgido do próprio anseio. O caminho certo para isso condiciona justamente o brotar de formas exteriores, vindas do íntimo. Mas tudo quanto hoje vemos nada mais é do que uma construção do raciocínio onde somente depois os sentimentos intuitivos deverão ser comprimidos. Toma-se assim um caminho ao contrário, que naturalmente também se pode chamar de errado ou falso, por jamais conseguir realmente ser vivo em si.

 

Assim muita coisa grosseira e inoportuna se molda, o que de outra forma chegaria muito mais próximo da vontade real, com o que, somente então, o efeito convincente pode unir-se.

Muita coisa bem-intencionada acaba repugnando em lugar de convencer, porque a forma certa para isso ainda não foi encontrada, a qual o raciocínio nunca pode dar para aquilo que é inapreensível terrenamente!

É o que acontece também nas igrejas. De modo demasiadamente nítido se faz sentir a edificação do raciocínio, visando somente a influência terrena, e deste modo muita coisa boa perde sua significação, porque dá a impressão de antinatural.

 

Outrossim, só pode dar a impressão de antinatural aquilo que não corresponde às leis da Criação. Justamente tais coisas existem em abundância nos cultos atuais, onde simplesmente tudo o que se encontra em oposição às leis naturais é envolvido em misteriosa escuridão.

Exatamente com isso, porém, pelo facto de os seres humanos inconscientemente nesse assunto nunca falarem de uma Luz misteriosa, mas sempre e apenas de uma escuridão, eles acertam, pois a Luz não conhece obscurecimento, portanto também nenhuma mística, para a qual não devia haver lugar na Criação que se originou da Vontade de Deus, trabalhando automaticamente segundo um ritmo inexorável. Nada é mais claro em seu tecer do que exatamente a Criação, que é a obra de Deus!

 

Nisso é que reside o segredo do êxito e estabilidade, ou da ruína. O que está construído com bases nessas leis vivas da Criação recebe auxílio, trazendo êxito e também estabilidade. Onde, porém, tais leis não forem observadas, seja por ignorância, seja por obstinação, o desmoronamento efetivar-se-á irremediavelmente, após tempo maior ou menor, porque não conseguirá se manter permanentemente, pois não se encontra sobre nenhuma base firme e inamovível.

 

Eis porque tanta obra humana é efémera, facto que não precisava ocorrer. A isso pertencem cultos de múltiplas espécies que constantemente têm de ser submetidos a transformações, se não devam sucumbir totalmente.

O Filho de Deus deu aos seres humanos, do modo mais simples e mais claro, na sua Palavra, o caminho certo pelo qual deviam conduzir sua existência terrena, correspondente à tessitura da Criação, a fim de, através das leis de Deus que se manifestam no tecer da Criação, serem apoiados auxiliadoramente e elevados às alturas luminosas, para obterem paz e alegria aqui na Terra.

 

Infelizmente, contudo, as igrejas não se conservaram no caminho da salvação e soerguimento dos seres humanos, dado pelo próprio Filho de Deus e por ele exatamente explicado, mas sim acrescentaram à sua doutrina ainda muita coisa segundo seu próprio pensar, e desta forma causaram naturalmente confusão, que tinha de acarretar cisões, porque não correspondia às leis da Criação e por essa razão eram também, não obstante isso soasse de maneira estranha, contra a clara doutrina do Filho de Deus, segundo a qual eles, no entanto, se denominam cristãos.

É o que se dá, por exemplo, a respeito do culto de Maria dos cristãos seguidores do Papa. Acaso Jesus, que ensinou aos seres humanos tudo, como deviam pensar e agir, sim, também como falar e orar, para que assim atuassem certo e de acordo com a Vontade de Deus, falou uma só palavra que fosse, a tal respeito? Não, isso ele não fez! E isto é uma prova de que ele também não o queria e que isto não devia existir!

 

Há até mesmo afirmações dele que provam o contrário daquilo que o culto de Maria condiciona.

E os cristãos querem, entretanto, agir sinceramente apenas segundo as regras de Cristo, caso contrário não seriam cristãos.

Se, pois, os seres humanos algo acrescentaram e a igreja papal age diferentemente do que Cristo ensinou, logo está provado que essa igreja se coloca atrevidamente acima do Filho de Deus, pois procura melhorar suas palavras, já que estabelece atos que o Filho de Deus não queria, uma vez que, do contrário, ele teria ensinado infalivelmente também esses atos, em face de tudo aquilo que ensinou aos seres humanos.

Certamente existe uma Rainha do Céu que, segundo a conceituação terrestre, também se poderia chamar Mãe Primordial e que, não obstante, possui a mais pura virgindade. Ela, porém, está desde toda a eternidade nos páramos mais elevados e nunca teve encarnação terrestre!

 

Trata-se, pois, de sua imagem irradiante e não dela em realidade, o que uma vez ou outra certas pessoas, devido a uma profunda emoção, podem “ver” ou “intuir”. Através dela vêm também muitas vezes auxílios mais rápidos, chamados milagres.

Uma visão verdadeira, pessoal, dessa Rainha Primordial, mesmo aos espíritos humanos mais evoluídos, nunca é possível, porque, devido às leis inflexíveis da Criação, cada espécie só está apta a ver sua espécie análoga. Assim, o olho terrestre só pode ver coisas terrestres, o olho de matéria fina as coisas de matéria fina, o olho espiritual apenas as coisas espirituais, e assim por diante.

E como o espírito humano só pode ver o espiritual, donde ele mesmo promana, assim também não consegue na realidade ver a Rainha Primordial, que é duma espécie muito mais elevada, mas sim, se lhe for concedida a graça, apenas sua irradiante imagem espiritual, que todavia aparece como viva e cuja irradiação já pode ser tão forte que realiza milagres, onde encontrar um solo preparado para isso, o qual se apresenta mediante inabalável crença ou profunda comoção no sofrimento ou na alegria.

 

Isso reside na atuação da Criação, emanado e sustentado pela perfeita Vontade de Deus. Nessa atuação se encontram também todos os auxílios para os seres humanos, desde o começo dos tempos até toda a eternidade, sempre que eles mesmos não se desviem, levados pelo querer saber melhor.

Na Criação atua Deus, pois ela é sua obra perfeita.

E exatamente por causa dessa perfeição, para que se desse o nascimento terrestre do Filho de Deus, teve que haver anteriormente uma geração terrena. Quem afirma o contrário duvida da perfeição das obras de Deus, portanto da perfeição de Deus também, de cuja Vontade se originou a Criação.

Imaculada conceção é uma conceção no mais puro amor, fazendo contraste com uma conceção em prazer pecaminoso! Mas não existe nascimento terreno sem geração.

 

Se uma conceção terrena, isto é, uma geração terrena não pudesse ser imaculada, então cada maternidade teria que ser considerada como mácula!

Através da Criação Deus também fala, mostrando nitidamente Sua Vontade.

Reconhecer essa Vontade é dever dos seres humanos. E o Filho de Deus indicou com sua Santa Palavra o verdadeiro caminho para isso, porque os seres humanos não se esforçavam para tanto, emaranhando-se por isso cada vez mais nas leis automáticas da Criação.

Esse inalterável tecer da Criação tinha de, com o tempo, aniquilar os seres humanos, devido à sua ignorância e à utilização errada, ao passo que ele soerguerá a humanidade se esta viver direito, conforme a Vontade de Deus.

Recompensa e castigo para o ser humano estão no tecer da Criação, que é conduzido de modo constante e imutável pela própria Vontade de Deus. Nisso reside também a condenação ou salvação! É inexorável e justo, sempre objetivo, sem arbitrariedades.

 

Nisso jaz a incomensurável grandeza de Deus, Seu Amor, Sua Justiça. Isto é, em Sua obra, que Ele legou às criaturas humanas, ao lado de muitos outros seres, como morada e pátria.

É, pois, chegado o tempo de as criaturas humanas terem que alcançar esse saber para chegarem com a mais completa convicção ao reconhecimento da atuação de Deus, que se exprime em Sua obra!

Então todos os seres humanos encontrar-se-ão de modo inabalável aqui na Terra, com a mais jubilosa vontade de trabalhar, com os olhos soerguidos gratamente para Deus, pois o reconhecimento os ligará para sempre através do saber!

Para transmitir aos seres humanos tal saber, que lhes dá uma convicção nítida e compreensível da atuação de Deus, em Sua Justiça e em Seu Amor, escrevi a obra “Na Luz da Verdade”, que não deixa lacunas, contém resposta a cada pergunta, traz esclarecimentos aos seres humanos de quão maravilhosos são os caminhos na Criação, os quais muitos servidores da Sua Vontade mantêm.

Santo, porém, é só Deus!

 

Abdruschin

 

Dissertação 08 “Culto” da obra “Na Luz da Verdade-Mensagem do Graal”, volume I

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens