Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Mensagem do Graal

“Na Luz da Verdade – Mensagem do Graal” é uma obra escrita em três volumes pelo escritor Oskar Ernst Bernhardt sob o nome literário Abdruschin.

Mártires voluntários, fanáticos religiosos

Repugnantes são as pessoas que voluntariamente se impõem dores físicas e provações, para assim se tornarem agradáveis a Deus! Todas elas jamais alcançarão o reino dos céus!

Ao invés de se alegrarem com a bela Criação, como agradecimento pela sua existência, martirizam e torturam da maneira mais criminosa o corpo anteriormente muitas vezes sadio, ou prejudicam-no com uma carga intencional de múltiplas privações, renúncias, somente… para nisso parecerem grandes diante dos seres humanos ou perante si mesmas, para satisfação própria e enaltecimento próprio, na ilusória consciência de uma ação toda especial.

Tudo isso é, sim, apenas a má e repugnante excrescência de uma grande presunção da mais baixa espécie! A vontade de sobressair a todo custo. Trata-se aí, quase sempre, de pessoas que estão convencidas de que de outro modo jamais conseguiriam se pôr em evidência. Que, portanto, intuem exatamente que são incapazes de realizar algo de grande e, com isso, se sobressaírem. São as convictas de sua própria pequenez.

Enganam-se a si próprias, imaginam como humildade a convicção de sua pequenez! Mas não o é, pois logo comprovam isso pelo desejo de se evidenciar. Só a presunção e a vaidade é que as impulsionam para coisas tão repugnantes. Não são devotas ou humildes servas de Deus, não se deve considerá-las como santas mas sim apenas como pecadoras petulantes! Como tais, que ainda esperam admiração por seus pecados e recompensa por sua preguiça de trabalhar!

 

Mesmo que esse grande pecado nem chegue à consciência de muitas delas, porque não querem considerá-lo como pecado diante de si mesmas, para próprio “enaltecimento”, isso em nada altera o facto de que no efeito permanece sempre apenas aquilo que realmente é, não porém como o ser humano pretende fazer crer a si mesmo e a outrem.

Esses seres humanos são diante de Deus apenas pecadores, visto que se opõem às Suas leis primordiais da Criação, com procedimento petulante e teimoso, porque não alimentam nem tratam os corpos a eles confiados assim como é necessário, a fim de desenvolver nos corpos aquela força que os torna aptos a proporcionar um solo forte ao espírito na Terra, um instrumento sadio e vigoroso para a defesa e a assimilação, a fim de poder servir, poderosamente e ao mesmo tempo, como escudo e espada, para o espírito.

Querer investir contra as leis da natureza é apenas uma consequência da doença dos cérebros, para deste modo se destacar e exibir, pois uma pessoa sadia jamais se imaginará ser capaz de desviar ou melhorar, sequer pela espessura de um fio de cabelo, a Vontade de Deus nas leis primordiais da Criação, sem prejuízo para si mesma.

Como parece tolo, pueril e caprichoso, ou ridículo, quando uma pessoa se instala, durante o seu tempo de vida, numa árvore oca ou deixa enrijecer completamente um membro do corpo, se dilacera ou se suja!

 

O ser humano pode esforçar-se como quiser, para descobrir um motivo que resulte numa justificativa, ou mesmo apenas um sentido para isso; é e permanecerá um crime contra o corpo a ele confiado, e com isso um crime contra a Vontade de Deus!

A isso pertencem também os inúmeros mártires da vaidade e da moda!

Não presteis atenção a tais pessoas! Vereis como se modificarão depressa, quão pouco profunda é a convicção.

Um fanático perece por sua própria obstinação! Não vale a pena entristecer-se por ele, pois tal espírito humano jamais tem valores a apresentar.

E assim como milhares pecam dessa maneira gravemente contra o seu corpo terreno, voltando-se com isso criminosamente contra a Vontade de Deus, exatamente assim se procede milhares de vezes também contra a alma!

Grande é, por exemplo, o número daqueles que vivem permanentemente sob a pressão, por eles mesmos criada, de serem os desprezados no mundo. Deserdados da felicidade, desconsiderados pelos seus semelhantes e tantas coisas mais. No entanto, são eles próprios que aí apresentam pretensões totalmente injustas aos seus semelhantes, atuam de modo desintegrante sobre seu ambiente, cheios de inveja, carregando-se com isso somente de culpa sobre culpa, como pesado fardo. Constituem os vermes que têm de ser esmagados no Juízo, para que finalmente possa haver entre os seres humanos paz serena, alegria e felicidade.

 

Contudo, não só atormentam seu próximo com caprichos, mas sim ferem com isso os próprios corpos da alma, da mesma forma como os fanáticos religiosos causam danos a seu corpo de matéria grosseira. Deste modo transgridem, especialmente, a lei Divina, ao ferirem, inconsideravelmente, todos os invólucros indispensáveis confiados a seu espírito, de maneira que eles não podem ser utilizados pelo espírito com saúde vigorosa e força plena.

Longe vão, pois, as consequências de tal atuação dos violadores de seus corpos terrenos ou anímicos! Atinge os espíritos, tolhendo-os, prejudicando o seu inadiável e indispensável desenvolvimento, podendo mesmo levar à decomposição eterna, à condenação. Mas todos eles, mesmo na queda, ainda terão a ilusão de com isso sofrer uma injustiça!

No fundo, são apenas seres desprezíveis, indignos de poderem se alegrar!

Portanto, não lhes presteis atenção e evitai-os, pois não merecem sequer uma boa palavra!

 

Abdruschin

 

Dissertação 03 “Mártires voluntários, fanáticos religiosos” da obra “Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal”, volume III

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens